domingo, 26 de setembro de 2010

Garry Kasparov “A Vida imita o Xadrez” e onde entra o Poker aqui

Quem nunca ouviu falar de Kasparov? Dos seus confrontos míticos contra humanos e máquinas?…

Neste livro seguimos o percurso deste jogador desde a tenra idade até ao seu mais recente projecto. Segundo nos conta, a cada entrevista que dava repetia-se a procura pela fórmula mágica para ter sido o campeão mundial de xadrez, mais novo do mundo. No livro, autobiográfico, tenta-se chegar à "receita" para o sucesso inegável.

Apesar de não encontrarmos Kasparov “nas mesas”, o Xadrez vê muitos dos seus jogadores apaixonarem-se pelo Poker. Ao ler o livro com o intuito de conhecer melhor a carreira de Kasparov, acabei por encontrar muitas lições que qualquer bom estudo de Poker nos dá.

O livro está dividido em 3 partes principais, mas a minha atenção recai em especial para duas delas.


Primeira Parte

Kasparov fala-nos das derrotas que teve e da forma como as enfrentou (relembrando-nos todas as vezes que vemos as fichas abandonarem para outro sitio da mesa sem que isso parecesse provável ou justo e a força que temos de ter para lidar com isso). Pontos chave falados: Preparação, Resistência, Estudo.

Encontramos ainda a distinção  entre Estratégia e Táctica muito bem explicitada e recordamos a importância do uso de ambas com a frase citada de Sun-Tzu:

«A estratégica sem a táctica é o caminho mais longo para a vitória. A táctica sem estratégia é o som que se ouve antes da derrota

Igualmente importante, é perceber a importância de manter a Estratégia, de nos dedicarmos a pô-la em prática e de confiarmos no plano traçado.

Encontramos ainda relatos sobre Jogadas, Cálculos, Imaginação (relembrando o quão ideal é quebrar rotinas e colocarmo-nos em novas situações que nos permitam aprender mais e mais), sempre com o objectivo: Eficiência.

(também com esse objectivo em mente, dividimos esta análise em duas partes, não perca a continuação aqui)
Boa Sorte & Nice Skill

Sem comentários:

Publicar um comentário